BUSCA     BUSCA
BUSCAR
+ AVANÇADA
O que é music branding e como desenvolver essa estratégia para sua marca
Sabe o que é music branding e como você pode utilizá-lo no seu negócio? Leia o nosso post e aprenda a estruturá-lo. 

Neste post vamos ajudar você a implementar essa estratégia, bem como mostrar quais erros devem ser evitados e quais as vantagens que podem ser obtidas. Achou interessante? Então, leia e veja o que fazer!
Para começar, você sabe o que é music branding? É uma estratégia que integra o marketing sensorial e tem o propósito de usar os sons para traduzir a identidade da marca. A ideia é gerar uma experiência única, que seja capaz de conectar o seu negócio a partir de suas principais associações e seus atributos. É uma forma de gerenciar a imagem de sua marca. Ou seja, a música ajuda a construir uma representação positiva do varejo perante a opinião dos clientes e a diferenciar sua empresa da concorrência. Para o music branding ser eficiente, ele deve traduzir essências e conceitos da loja. Somente dessa forma é possível melhorar seu posicionamento e agregar valor à percepção dos clientes sobre a empresa.
O conceito de branding - A melhor forma de entender o conceito da música em relação à marca é compreender o que o branding representa para o varejo. Ele permite construir a imagem do seu negócio perante o público. Isso acontece por meio de diferentes técnicas: remetem a conceitos, trazem lembranças etc. Assim, a chance de aumentar as vendas é maior.
Duvida? Basta pensar no cheiro sentido ao passar por uma loja de O Boticário. Ou lembrar da sua marca de roupas preferida, que deve ter uma música, um cheiro, uma sensação específica.
Assim, diversos elementos formam o branding. Entre eles estão:
  • nome fantasia da empresa;
  • cores usadas na decoração;
  • desenho do logotipo e da identidade visual.
O music branding e sua relação com o marketing tradicional e sensorial - A música ambiente para lojas é um dos recursos mais valiosos para atrair e fidelizar o público. Ela proporciona uma experiência melhor de compra, assim como qualquer ferramenta de marketing, sendo essencial para a fidelização.
O music branding usa a audição a partir de uma playlist para tornar o ambiente mais agradável e propício às compras. Afinal, se você é bem atendido e gosta dos aromas e das músicas, é normal que estabeleça uma conexão com o estabelecimento — e isso ajuda a vender mais. A música é mais que um elemento aleatório. Por meio dela, é possível fazer uma conexão emocional do cliente com a marca, fortalecer a identidade do negócio, criar lembranças positivas e enriquecer a experiência de compra.
Por que pensar no music branding como estratégia? Na sua rotina, você pode adotar diferentes ações de marketing, como é o caso do musical. O mais importante é que todos os elementos trabalhem em conjunto e criem uma imagem única do negócio perante os clientes. É assim que sua loja cria uma atmosfera mais agradável e compatível com o que os clientes desejam. Assim, é possível aperfeiçoar o relacionamento com o consumidor e ter uma identidade sonora mais fortalecida.
Esses são apenas alguns benefícios que justificam por que você deve pensar no music branding como estratégia.
Existem vários outros, como mostramos a seguir.
Conexão com o cliente: A música rodeia nossas vidas — e com o varejo é a mesma coisa. Ela contribui para o fortalecimento da conexão entre público e marca, porque tem uma carga sentimental significativa. Com isso, há identificação, engajamento e senso de conexão. 
- Aumento nas vendas: O objetivo maior de melhorar a experiência do cliente é gerar mais oportunidades de venda, fechar negócios e, sempre que possível, fidelizar clientes. Uma playlist para loja faz exatamente isso. Para ter uma ideia, 90% do sistema nervoso é desenvolvido na gestação devido à audição. Ainda há músicas que marcam momentos da vida e incentivam as pessoas a comprarem produtos ou serviços. As compras por impulso são estimuladas por essa estratégia. Mas para isso, é preciso investir em uma playlist certa, que pode ser uma rádio online com uma programação personalizada. Por exemplo, se tiver uma loja de móveis planejados, é inviável tocar um heavy metal, porque a música não condiz com o tipo de ambiente e isso afasta os clientes. Nesse caso, é melhor tocar um lounge, jazz ou qualquer estilo de música que agrade a todos os gostos. 
Melhoria da liderança da marca: A memória auditiva é muito forte e capaz de ativar gatilhos nos consumidores, mesmo que eles nem percebam. Com o music branding, o cliente deixa de lembrar apenas do momento da compra e também recorda de elementos relacionados, como a música. Sempre que ouvir aquela canção, é provável que sua mente volte a relembrar a experiência de compra. E sempre que ele ouvir o nome da marca, vai ter a certeza de que passou por uma experiência agradável. Assim, o cliente tende a memorizar o nome do seu negócio e a voltar a comprar.
Fortalecimento das estratégias entre filiais: A marca que precisa gerenciar diferentes lojas deve manter uma unidade entre elas. A mesma ideia vale para o som ambiente. A música faz parte da identidade da marca. Por isso, deve ter o mesmo padrão. Ao fazer desse elemento parte do planejamento estratégico, você mostra a clientes e colaboradores o que deseja passar.
Com isso, fica mais fácil manter o nível de experiência em todos os âmbitos de conexão com o cliente, como no atendimento. Isso porque o relacionamento se torna mais transparente e claro para todos.


Como fazer music branding no meu negócio?
Nem sempre é fácil implementar essa ideia, porque, assim como toda ação de marketing, requer a análise de diferentes variáveis para chegar às boas práticas. Por isso, é impossível tocar a mesma playlist que o seu concorrente. Para ele, pode surtir efeito. Para a sua loja, talvez não. O ideal é personalizar a programação, de acordo com a sua realidade. 

Veja como fazer isso:
Conheça o público da loja. Para isso, é necessário realizar uma pesquisa de mercado. Esse levantamento é abrangente e vai determinar o comportamento dos consumidores, quais são seus desejos, suas expectativas, seus hábitos de compra etc. A partir desse conhecimento, você adapta suas ações e cria um ambiente adequado ao fortalecimento da estratégia de negócio e também, deixa de lado os “achismos”, que tendem a fazer você a gastar dinheiro tendo pouco retorno.
Entenda os horários de fluxo de clientes. O ritmo das compras é influenciado pela música que toca no ambiente. Ou seja, se ela for calma e estiver em um volume mais baixo, a tendência é que os clientes permaneçam por mais tempo pelos corredores, se ela for mais agitada, as pessoas aceleram o passo. É necessário então entender esse comportamento e saber em quais horários há mais pessoas na loja, em que períodos os clientes ficam mais agitados etc., pois isso ajuda a definir a estratégia mais apropriada, criando um ambiente ideal para vendas.
Personalize as músicas a partir de um bom planejamento. Uma trilha sonora personalizada cria diferentes experiências aos consumidores, o que aumenta a conexão entre eles e a marca. Mais que colocar uma música ou uma playlist para tocar, é preciso selecionar as canções com cuidado, porque elas precisam estar de acordo com o branding. Ao definir quais canções estão adequadas à estratégia, você elabora um planejamento próprio que valoriza o investimento realizado pela sua marca. Isso reflete o DNA da sua empresa e fortalece todas as ações de marketing. Com uma playlist personalizada, você atende a diferentes propósitos: gera uma sensação agradável, aumenta o tempo de permanência dos clientes, incentiva a compra e fortalece o negócio.
Aplique o music branding junto a outras estratégias sensoriais. As ferramentas precisam ser trabalhadas em conjunto para surtirem o efeito desejado. Portanto, trabalhe diferentes ações, como:
  • visuais;
  • auditivas;
  • olfativas;
  • táteis.
Lembre-se de que a audição é apenas um dos sentidos, e ele traz resultados melhores quando aplicado junto a outros detalhes. Todos esses fatores interferem no comportamento do consumidor e aumentam a chance de fechar negócios.
Que erros evitar no music branding da empresa? Escolher a trilha musical da sua loja é uma ação pensada e planejada, a fim de estimular experiências, lembranças e sensações. O som ambiente tem o dever de acompanhar as compras e criar um vínculo entre consumidor e marca para incentivar o retorno do cliente ao estabelecimento.
No entanto, toda a estratégia pode ser colocada em risco se você cometer alguns erros comuns. É preciso saber quais são eles para evitá-los. Por isso, listamos aqueles com os quais você deve ter mais atenção. 
Que tal conferi-los?
Escolher a playlist por gosto pessoal do gerente ou colaboradores - Evite escolher uma playlist por gosto pessoal dos funcionários ou gerente. A escolha da música deve ser feita com base na identidade da marca, do perfil do público da loja e de outras variáveis.
Ignorar os horários ao montar a playlist - Lembre-se de que nos horários de picos, normalmente após às 18h, é sempre bom selecionar músicas menos agitadas, pois esse é o momento em que as pessoas saem do trabalho e fazem compras pontuais. Por isso, há mais chance de impaciência e cansaço, que levam à irritação. Por outro lado, os horários de médio fluxo exigem músicas mais enérgicas. Essa recomendação é válida, porque as pessoas estão no meio do dia e mais preocupadas com as atividades cotidianas e suas responsabilidades. Ao colocar uma música mais animada, os clientes tendem a se desligar dos problemas e a reagir a estímulos inconscientes. Com isso, há uma chance maior de comprar um produto ou um serviço.
Dar shuffle na playlist - Ou seja, deixar as músicas tocando no modo aleatório — é uma escolha pessoal, mas não deve ser uma alternativa para a trilha sonora da loja. Mantenha as escolhas feitas para garantir que o cliente permaneça por mais tempo no ambiente. Ao evitar o shuffle, você não corre o risco de misturar preferências musicais diferentes. Assim, aumenta a chance de ter a imagem da sua marca refletida nas estratégias de marketing. Ao mesmo tempo, evita que os clientes tenham uma percepção errada.
Usar plataformas de streaming - Contar com uma plataforma de streaming é errado, porque você não consegue trabalhar bem o music branding. O ideal é usar o serviço de uma empresa especializada, que tenha know-how em alavancar as vendas e oferecer uma experiência de compras melhor.
Então, que tal agora implementar “o music branding” no seu negócio?

Rua Voluntários da Pátria, 2822 - 3° Andar
Bairro Floresta Porto Alegre - RS
CEP 90.230-010
Horário de atendimento: das 8h às 17h45.

Dallasanta Empreendimentos Imobiliários
Copyright © 2019
Todos os direitos reservados.


Banco de Dados: Locação On - Venda On